Assassinatos de jornalistas no Brasil desde 2002

Por Volt Data Lab

A maioria dos assassinatos não pode ser geolocalizada precisamente, ou seja, com o local (rua, bairro etc.) exato, então seus pontos são baseados na cidade onde o jornalista foi morto.

* Última atualização em Novembro de 2015

SOBRE O PROJETO

Este projeto foi realizado pelo Volt Data Lab, a partir de informações da ONG Repórteres Sem Fronteiras .

Você pode se informar mais sobre mortes de jornalistas a partir de um relatório publicado em abril de 2014 pelo Committee to Protect Journalists, neste link.

No texto, o CPJ aponta que o Brasil é o 11º país mais letal do mundo para jornalistas, com mais de 30 assassinatos desde 2002.

A metodologia dessa pesquisa é bastante direta: o Volt pegou no site da RSF os nomes dos jornalistas assassinados e cruzou com notícias divulgadas à época dos crimes. Cada ponto no mapa é um jornalista assassinado.

Veja também o texto do editor do Volt Data Lab sobre o projeto: Quer profissão perigosa? Seja radialista em uma cidade pequena no Brasil

O documentário abaixo foi feito pelas jornalistas Kamilla Morais e Jéssica Berto, como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para a Universidade Paulista (UNIP), e publicado pela Ponte.org em 17/11/2015.

A peça "evidencia a violência sofrida por jornalistas e comunicadores durante o exercício da profissão", segundo as autoras, e conta com entrevistas com jornalistas experientes.


DADOS

Todos os dados podem ser encontrados tabelados neste link

Para entrar em contato, envie um e-mail para a gente:   info [a] voltdata.info

Feito por @ProjetoStock, a partir do código-base de @jlord.

 Compartilhe e siga o Volt -    

São Paulo/Curitiba - 2015